Envelhecimento e microbiota intestinal

Envelhecimento e microbiota intestinal

Alguns estudos recentes têm relacionado o processo de envelhecimento a alterações do conjunto de microrganismos que habitam o nosso intestino e desempenham importantes funções no nosso corpo. Estes microrganismos compõem a microbiota intestinal. Mas antes de falarmos dela é importante compreendermos as funções que o nosso intestino desempenha.

Você sabe quais funções o intestino desempenha?

O sistema gastrointestinal tem como principal função movimentar nutrientes, vitaminas, minerais e água do ambiente externo para dentro do nosso corpo. Mas, para que isso ocorra, é necessário que os alimentos passem por processos que impulsionam o alimento ingerido da boca até a sua excreção pelo ânus.

Ao percebermos o cheiro de nossa refeição favorita e o alimento na nossa boca, o cérebro estimula a liberação de saliva pelas glândulas salivares, que irá ajudar na deglutição do alimento e é essencial para iniciar a digestão de carboidratos (açúcares). Esse processo é facilitado pela mastigação, que tritura o alimento com o objetivo de facilitar a absorção dos nutrientes.

A língua, então, empurra o bolo alimentar em direção ao esôfago. Quando o alimento chega ao esôfago, ocorre a contração da musculatura de sua parede, que impulsionam o bolo alimentar para o estômago através dos movimentos peristálticos.

Ao chegar no estômago, o alimento passa por processos de digestão química e mecânica que são essenciais para a absorção da vitamina B12 e para o início da digestão de proteínas. Mas, apenas uma pequena parte dos nutrientes é absorvida no estômago.

Quando o bolo alimentar (quimo) chega ao intestino, secreções intestinais e pancreáticas são liberadas. Essas secreções intestinais estimulam a liberação da bile, pelo fígado, que contribui para a digestão e absorção das gorduras ingeridas. Além disso, contrações dos tubos intestinais promovem a movimentação do quimo em direção à porção final do intestino, onde ocorre a absorção de água, alguns eletrólitos e a formação do bolo fecal.

Mas esta não é a única função do intestino! Além de desempenhar importantes funções na digestão e na absorção de nutrientes, o intestino também é um importante regulador da nossa função imune. Algumas bactérias, que estão presentes em nosso intestino, produzem um tipo de muco que reveste este tubo e impede a entrada de agentes causadores de doenças.

Temos bactérias no nosso intestino?

No nosso intestino encontramos um conjunto de microrganismos (bactérias, fungos e vírus) que interagem com o ambiente e influenciam diversas funções biológicas, como o metabolismo, o sistema imune e a função cognitiva.

Esses microrganismos, além de atuarem na defesa do nosso organismo, participam da produção e liberação de substâncias que influenciam nosso estado emocional, e diversos outros fatores. Dessa forma, alterações nesse microambiente podem, inclusive, contribuir para o desenvolvimento de algumas doenças neurodegenerativas (Doença de Parkinson e Doença de Alzheimer), cardiovasculares (hipertensão), metabólicas (obesidade, diabetes), entre outras condições associadas ao envelhecimento.

Mas qual é a relação entre a microbiota e o envelhecimento?

O envelhecimento não se resume apenas ao avanço da idade. É um processo natural que leva ao declínio gradual de várias funções biológicas e está associado aos hábitos de vida do indivíduo, ao surgimento de várias doenças, como as mencionadas acima, além do uso de medicamentos para tratá-las.

Um estudo recente investigou a relação entre esses fatores e a composição da microbiota intestinal, demonstrando que, conforme envelhecemos, a diversidade de microrganismos que compõem esse ecossistema diminui. Esta é uma relação inversa à quantidade de doenças que o indivíduo apresenta e de medicamentos que utiliza.

Além disso, os pesquisadores demonstraram um aumento na quantidade de coliformes no intestino, um tipo de bactéria que utiliza a lactose (um tipo de açúcar presente em alimentos derivados do leite) como nutriente. Isso contribui para a geração de um ambiente sem oxigênio e pode comprometer o metabolismo do indivíduo.

Este estudo reforça a importância de entendermos a relação entre a microbiota intestinal e as nossas funções biológicas. A partir disso, será possível compreender o seu efeito sobre o envelhecimento e as condições associadas a este processo.

A Cura Home Care pode ser a sua maior aliada! Nós contamos com uma equipe multidisciplinar especializada para garantir o melhor apoio médico e psicológico, e tudo isso no conforto da sua casa.

Referências:

Chen Y, Zhou J, Wang L (2021). Role and mechanism of gut microbiota in human disease. Frontiers in Cellular and Infection Microbiology.

Leite G, Pimentel M, Barlow G. M, Chang C. Hosseini A, Wang J, Parodi G, Sedighi R, Rezaie A, Mathur R (2021). Age and the aging process significantly alter the small bowel microbiome. Cell Reports.

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Posts Relacionados